Notícias

Scheidt busca mais um recorde no Rio


    (20/07/07)  

Acostumado a vencer e a bater recordes mundo afora, o velejador Robert Scheidt pode conseguir mais uma marca histórica no Pan do Rio de Janeiro. Medalha de ouro na classe Laser em Mar del Plata/95, Winnipeg/99 e Santo Domingo/2003, Scheidt pode se tornar o primeiro brasileiro tetracampeão pan-americano de uma mesma prova individual. A estréia será neste domingo, com as duas primeiras regatas, a partir das 13 horas, na Baía de Guanabara.

Estou sem competir na classe Laser em alto nível praticamente desde o Mundial de Fortaleza, em 2005, mas a semana de treinos aqui no Rio de Janeiro me deixou bastante animado. Melhorei muito, contou o velejador, de 34 anos, medalha de ouro nos Jogos de Atlanta/96 e Atenas/2004 e prata em Sydney/2000. Desde domingo passado, Scheidt treinou com o amigo e adversário Eduardo Couto, o Magriça, laserista carioca.

A última competição de Robert Scheidt na classe Laser foi em fevereiro, também no Rio de Janeiro, onde venceu o Pré-Pan e garantiu vaga nos Jogos do Rio. Só incluí o Pan no meu calendário pela oportunidade de me despedir da classe Laser brigando por mais uma medalha, desta vez dentro de casa. Mas tenho consciência de que hoje sou um velejador de Star que vai fazer uma passagem pela classe Laser, disse.

Apontado como favorito ao ouro, Scheidt acredita em uma disputa equilibrada pelo pódio. O velejador, que venceu 31 das 33 regatas disputadas em Jogos Pan-Americanos, aposta em bastante equilíbrio nas regatas e aponta quatro adversários de peso: o chileno Matias del Solar, latino-americano mais bem colocado no Mundial de Cascais, com um sétimo lugar, e quarto colocado do ranking mundial, o canadense Mike Leigh, sexto do ranking mundial, o argentino Julio Alsogaray, campeão do Troféu Princesa Sofia, na Espanha, em abril, e o norte-americano Andrew Campbell.

Acredito em, pelo menos, uma regata ruim de cada um, inclusive minha. Também estou preparado para competir com ventos fracos, característicos dessa época do ano no Rio de Janeiro, embora prefira velejar com ventos mais fortes, falou o também octocampeão mundial, que é patrocinado por Banco do Brasil, Brasil Telecom, Medley, CNA Idiomas, Varig e Volvo.

No total serão 13 barcos na briga e dez regatas, com um descarte para cada velejador, além da Regata da Medalha, apenas com os cinco mais bem colocados. Robert Scheidt e os demais velejadores não estão hospedados na Vila Pan-Americana, mas sim no Hotel Glória. Até o momento, não consegui torcer pelos meus companheiros. Cuidei da parte física pela manhã e à tarde treinei na água, contou Scheidt.

Boa sorte - Parceiro de Robert Scheidt na classe Star, Bruno Prada vai ficar na torcida pelo amigo de infância. Desejo toda sorte do mundo ao Robert. Poucos velejadores no mundo têm a capacidade de velejar com tanta intensidade e em alto nível como ele. Vamos nos falar por telefone todos os dias e, se possível, irei ao Rio para comprovar que sou pé-quente, brincou o pentacampeão brasileiro e medalha de bronze na classe Finn no Pan de Winnipeg.

No dia 9 passado, Scheidt e Prada venceram o Mundial da Federação Internacional de Vela (Isaf) na classe Star, em Cascais, Portugal, resultado mais importante da parceria e que garantiu o Brasil nos Jogos de Pequim. A dupla classificada será definida em fevereiro de 2008, no Rio de Janeiro.

Fonte: ZDL - Guto Francischini / www.boia1.com.br